Você precisa baixar o Flash Player para ver este anúncio.

Get Adobe Flash player

POSTAGENS DESTE COLUNISTA

»Privilégios
»Plotter neles!
»Continua o crime ambiental em Atlântida Sul
»O Direito como instrumento do poder
»Revolução dos Bichos
»CPI do Boxe esta cheirando a Pizza.
»A Síndrome do Noé
»Desvio de Verba Pública em Osório.
»O Poder Econômico no Sistema Eleitoral
»Compartilhando o milho
»Tô de Olho

Helio Bogado

Continua o crime ambiental em Atlântida Sul

As vezes parece que o Distrito de Atlântida Sul , não pertence a Osório.   O Programa  JOGUE LIMPO  COM  OSÓRIO, que é referência para vários municípios , mas não consegue chegar ao distrito praiano.  Na sede da cidade existe uma  Central de Transbordo,  que opera devidamente licenciada. Ainda dentro do programa, existe até um serviço de Cata – Treco, onde um número de telefone é  disponibilizado para as pessoas solicitarem  a busca e o encaminhamento de alguns descartes.  Já em Atlântida Sul , só chega parte do Marketing, como uma placa na entrada do distrito e  algumas sinalizações alusivas ao programa.  A própria Sub Prefeitura ao recolher matérias de construção e outros materiais , encaminha estes descartes   na  primeira rua deserta ou terreno.  Em outro momento, chegou a  utilizar  uma  área para os descartes, mais acabou virando um lixão, alvo até de matérias de televisão  de rede nacional.  Moradores entraram com  ação na  justiça e denúncias junto ao Ministério Público e conseguiram  a interdição do local, pois o mesmo  diferentemente da Central de Transbordo da  sede de Osório, não tinha licença e muito menos condições adequadas para receber tais descartes, configurando além de transtorno para os vizinhos ,e um dano ambiental grave.   A prefeitura e a Loteadora,  foram  cada uma separadamente  condenadas a pagar indenização de R$ 10.000,00 ( Dez mil reais ) , para os moradores que ingressarão na justiça. O Fato é que , a prefeitura não  resolve o problema e continua descartando  em qualquer local da praia , servindo de mal exemplo para os moradores e para todos que precisam descartar , principalmente  podas de árvores e  materiais de construção.  Qualquer morador que se sentir prejudicado ao ter perto de sua residência este tipo de  lixão, pode também ingressar com ação na justiça e pedir indenização aos infratores, pois existe até jurisprudência para tal demanda.  No encaminhamento da solução , espero que a prefeitura faça o básico, traga efetivamente o PROGRAMA JOGUE LIMPO PARA  SUAS PRAIAS.   

ALINE NITSCH

GEREMIAS O.CUNHA

HELIO BOGADO

RICARDO HAMERSKI CÉZAR ADVOGADO

VÍTOR ANDRÉ DA SILVEIRA DUARTE