POSTAGENS DESTE COLUNISTA

»Quer mudar o Brasil? Tome partido
»PARA ONDE VAMOS?
»Nossa opinião e a pretensa democracia
»Bolsa Travesti, problema resolvido
»DEPOIS DE 12 ANOS EM COMA
»Da síndrome de chupim ao orgulho do Brizola
»COISAS QUE VALEM MUITO
»Um jogo esclarecedor

Vítor André da Silveira Duarte

Nossa opinião e a pretensa democracia

Tenho me preocupado demais nos últimos dias com a facilidade com que as pessoas assumem discursos absurdos com tanto engajamento. Temos uma fábrica de pensamentos que está muito bem amparada na internet e nos meios de comunicação tradicionais (TV, rádio, jornal). E antes que os mais apressados pensem que estou falando da “imprensa de direita”, estou falando de todos os meios que manipulam. E são todos. Seja pra um lado ou para o outro.
 
Existem muitas coisas importantes acontecendo, outras nem tanto, mas todas dependem de nossa análise para que tomemos posição e possamos opinar e contribuir para as soluções que serão tomadas. Mas como vamos fazer isso de forma séria se todos estão infectados? Estamos num turbilhão de questões sociais em que podemos ou devemos nos manifestar. Será que devemos acabar com o financiamento privado de campanha política? Será que devemos aceitar o casamento homossexual? Será que devemos reduzir a maioridade penal para 16 anos? Será que devemos apoiar o impeachment? Será que devemos privatizar tudo que é público?
 
A minha preocupação é que estamos caminhando para decisões em estouro de boiada. E assim não se pensa. Assim não se decide nada. Não com clareza. A sociedade brasileira vem sendo manipulada a pensar conforme os principais veículos de comunicação brasileiros querem. Vejam o exemplo do Boni (da Globo) onde ele assume que para melhorar a imagem do Collor foram usadas mentiras na campanha de 89. Veja: https://www.youtube.com/watch?v=VrpurEkmJkU
 
Agora, imagina quantas outras lorotas e manipulações já foram criadas para nos levar no “gogó”. Alguém lembra do programa da Rede Globo, chamado Você Decide ? Ali estava uma forma muito interessante de saber como o povo pensava. Depois disso tivemos o Big Brother e a própria internet, que facilitam a forma de saber como se comporta uma população fazendo balões de ensaio. Não entendeu a comparação? O programa, seja qual for, lança um tema polêmico, novo, audacioso, e joga para a população “decidir” se aquilo é bom ou ruim. Exemplos: os temas do Você Decide, as posturas das pessoas confinadas nos programas como A Fazenda e BBB, a forma como as notícias são divulgadas na internet. Tudo isso gera reações populares, que são medidas e em cima disso, os meios manipuladores sabem com o quê e com quem estão lidando e quais as medidas para manter estas pessoas na linha que eles querem ou para mudar a direção. Bonito, não?
 
É sério isso. Estamos sendo manipulados a achar que temos informação e que decidimos o que queremos o tempo todo. E não estamos. Se você acha que só acontece aqui, trago um exemplo importado: https://www.youtube.com/watch?v=cUINQjYRWkU
 
Você com certeza já passou na frente de algum belo condomínio fechado que possivelmente faz fundos com alguma lagoa ou rio (sim, estou usando um eufemismo para o que acontece em Osório). E o que você pensa quando passa ali? “Temos que chamar a sociedade a enfrentar esta situação. Onde já se viu uma lagoa ser privatizada! Os mananciais são públicos!”.  Não, né? Você pensa: “Nossa, que lindo! Tomara que algum dia eu consiga morar aí. Já pensou uma casa aí dentro? Ouvi falar que tem uma pracinha completa e até uma marina particular”. E por que você pensa isso? Porque as propagandas (formas aceitas de manipulação) te fazem pensar que morar ali é bacana, é útil e você será mais feliz. Os que não conseguirem que se danem! Fundos para a lagoa é só para os escolhidos!!!
 
Nesta semana tive a oportunidade de ler no Yahoo! Notícias a mesma reportagem (o mesmo assunto) com dois títulos diferentes. Cada um manipulava pra um lado, pois cada chamada foi escrita por um colunista/jornalista diferente, com opiniões diferentes. Isso é bom? Não. Da forma como eles divulgam isso, eu não acho. A imprensa não tem que dar opinião. Tem que dar notícia. Os colunistas podem dar opinião, mas quando o fizerem não pode ser em forma de notícia! Mas quer ver como as coisas funcionam? Vasculhe os sites da Globo e Editora Abril e depois procure os sites de notícias de esquerda. As mesmas notícias, sob focos diferentes, com argumentos (?) diferentes. Alguém, ou os dois, está mentindo.
 
Veja (desculpe o trocadilho), que não sou contra a discussão dos temas com visões diferentes. Isso é saudável. Sou contra, em primeiro lugar a disparidade de força entre os veículos. E sou contra, também, a informação engarrafada, temperada, pronta para consumir. A nossa imprensa não nos deixa pensar! Empurram o que querem que nós pensemos e nós, bem, nós pensamos. 
 
Enfim, estamos há muito vivendo uma democracia fajuta. Sim, pois o princípio da democracia é o povo no poder, elegendo e sendo eleito por seus pares. Mas como podemos decidir com clareza sobre alguma coisa se todas as informações chegam em nós já adulteradas? Na verdade nós pensamos (generalizando, lógico!) aquilo que alguém quer pensemos. E isso é triste, além de perigoso.

 

HELIO BOGADO

VÍTOR ANDRÉ DA SILVEIRA DUARTE